Portugal: governo vai dar máscaras para alunos, professores e funcionários na volta às aulas

Alunos e professores também deverão respeitar o distanciamento físico, conforme orientações da DGS. Foto: Taylor Wilcox/Unsplash

O governo português vai distribuir máscaras e outros equipamentos de proteção individual para que as escolas “estejam mais bem preparadas” no retorno do ano letivo, em setembro. A informação foi divulgada pelo ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, durante reunião na comissão parlamentar de Educação da Assembleia da República.

No encontro com deputados, o ministro minimizou, ainda, a polêmica em torno do distanciamento físico entre alunos e professores. Segundo as orientações da Direção-Geral da Saúde, o distanciamento físico entre as pessoas deve ser de, no mínimo, um metro.

“A medida do distanciamento não pode ser vista isoladamente. Há várias medidas que estão previstas como os circuitos de circulação e grupos de alunos separados, a higienização e a etiqueta respiratória, a disposição das salas de aula”, enumerou o chefe do ministério da Educação.

As aulas do próximo ano letivo devem começar entre os dias 14 e 17 de setembro e a orientação do governo é a volta das atividades presenciais nas escolas públicas e privadas de Portugal.

No início do mês de julho, o ministro informou que o ano letivo 2020/2021 vai proporcionar mais tempo de aprendizagens, com enfoque especial na educação pré-escolar e nos primeiro e segundo ciclos do ensino básico, para recuperar as aprendizagens dos alunos, que ficou comprometida devido à pandemia do coronavírus.

 

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.