Incêndios: 15 cidades de Portugal em risco máximo

Por Carlos Machado, de Lisboa

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) divulgou que 15 cidades dos distritos de Faro, Portalegre, Castelo Branco, Santarém, Guarda e Bragança estão em risco máximo de incêndio causados em função da falta de chuva e altas temperaturas neste período de verão no hemisfério Norte. O IPMA colocou, ainda, em risco muito elevado de incêndio cerca de meia centena de concelhos.

Segundo o Instituto, pelo menos até o último fim de semana de junho vai manter-se o risco de incêndio muito elevado em vários concelhos do território português por causa do tempo quente. Os cálculos são obtidos a partir da temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação nas últimas 24 horas.

Leia mais
– Portugal volta a adotar restrições após novo surto de coronavírus na região de Lisboa
– Europa: veja os principais países abertos para turismo neste verão

Os incêndios florestais são das catástrofes naturais mais graves em Portugal, tanto pela dimensão, quanto pelos efeitos destruidores que causam, além de serem periogosos para as populações das regiões atingidas. O ano de 2003 foi o pior para o país, quando mais de 425 mil hectares – o equivalente a 595 campos de futebol – foram devastados pelas chamas.

Confira abaixo quais as regiões em alto risco de alerta:

– em risco máximo de incêndio estão os concelhos de Tavira, Alcoutim, Castro Marim (Faro), Nisa, Gavião (Portalegre), Vila Velha de Ródão, Penamacor, Proença-a-Nova (Castelo Branco), Sardoal, Mação (Santarém), Sabugal (Guarda) , Freixo de Espada à Cinta, Torre de Moncorvo, Mogadouro e Alfândega da Fé (Bragança).

– em risco muito elevado de incêndio cerca de meia centena de concelhos dos distritos de Faro, Beja, Santarém, Castelo Branco, Portalegre, Viseu, Vila Real e Bragança.

IPMA alerta para incêndios no território português. Fonte: Ilustração IPMA

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.