Encontrado corpo de brasileira trans desaparecida em Portugal

Imagens da vítima foram divulgadas na tentativa de encontrá-la.
Foto: Reprodução Facebook

Após 10 dias desaparecida, foi encontrado o corpo da brasileira Angelita Seixas Alves Correia, de 31 anos. A imigrante era uma mulher transexual e morava em Portugal desde 2016. Atualmente, ela residia no Porto com o marido, um cidadão português.

Durante o desaparecimento, o companheiro da vítima, juntamente com amigas de Angelita, realizou uma campanha nas redes sociais, com a divulgação de fotos e informações, na tentativa de encontrá-la. Logo após o desaparecimento, no dia 2 de janeiro, foi encontrada a bolsa de Angelita com os objetos pessoais, menos o celular da vítima. O fato chamou atenção das autoridades policiais.

Além das buscas em terra, a Polícia Marítima de Leixões procurou pela desaparecida no mar durante 10 dias, em aproximadamente 20 quilômetros de costa. Segundo o agente Pinto, que atuou nas buscas, o trabalho envolveu 15 profissionais.

A Estação Salva Vidas de Leixões, em post no Facebook, descreveu a missão como “uma das mais tristes e desoladoras para a equipe”. O órgão expressou condolências à família e amigos de Angelita.

Buscas foram realizadas durante 10 dias até o corpo da vítima ser encontrado.
Foto: Estação Salva Vidas / Facebook.

Agora, a Polícia Judiciária (PJ) e o Ministério Público (MP) realizam a investigação do caso. Em contato com o Agora Europa, a assessoria de imprensa da PJ informou que ainda não pode dar detalhes sobre os trabalhos, nem confirmou se Angelita pode ter sido vítima de um crime de transfobia.

O corpo de Angelita passará por perícia ainda hoje, antes de ser liberado para os atos fúnebres.  A família, que mora no estado de Goiás, tentará vir do Brasil, mas, no momento, a entrada de brasileiros em Portugal está condicionada à autorização prévia do serviço de imigração.

Coletivo lamenta o caso

O coletivo Queer Tropical, que auxilia a comunidade brasileira LGBTI+ em Portugal, divulgou nota em que lamenta a morte da transexual: “O Queer Tropical lamenta imensamente e envia os mais sinceros sentimentos de solidariedade à família e aos amigos de Angelita”, escreveram.  Nos grupos de brasileiros, diversos imigrantes também lamentaram a morte da imigrante.

Em Portugal, no ano de 2006, o corpo de outra brasileira transexual foi encontrado na cidade do Porto. Gisberta Salce Junior, de 45 anos, foi agredida e estuprada antes de ser assassinada por 14 adolescentes. O caso foi um marco do país, que levou a um debate sobre a transfobia em Portugal e criação de novos mecanismos de segurança para essa comunidade.

Não existem registros oficiais de outros assassinatos relacionados à transfobia em Portugal recentemente. No entanto, em 20 de novembro de 2020, o governo registrou o Dia Internacional da Memória Trans, com a campanha “O estigma exclui, a transfobia mata. Pelo direito de ser”. De acordo com os dados oficiais divulgados pelo governo, em 2019, 11 pessoas trans foram assassinadas na Europa. Destas, 50% eram imigrantes.

 

Compartilhar

1 Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.