Turismo na Europa: veja regras dos principais países abertos a brasileiros


Após quase um ano e meio, as fronteiras de países europeus voltaram a reabrir gradualmente a turistas do Brasil. Somente na última semana, três países da União Europeia (UE) voltaram a aceitar viagens não essenciais com saída do território brasileiro. No entanto, as regras variam entre os territórios europeus.

A Holanda retirou o Brasil da lista de variantes e permite, desde sábado (4), a entrada de brasileiros vacinados. O governo holandês aceita todas as vacinas aplicadas no Brasil, inclusive a CoronaVac, que ainda não possui aprovação do regulador europeu. 

No entanto, os turistas precisam apresentar um teste negativo e ainda cumprir quarentena de 10 dias após chegada ao país. A partir do quinto dia, é possível deixar o isolamento, caso seja feito um exame com resultado negativo para o vírus. Atualmente, existem voos diretos entre o Brasil e a Holanda. 

A Bélgica também autorizou a entrada de cidadãos brasileiros vacinados em viagens não essenciais. Desde o dia 1° de setembro é possível entrar no território. Porém, diferente da Holanda, o governo belga não reconhece o imunizante CoronVac. 

As demais vacinas aplicadas no Brasil dão autorização aos viajantes, que precisam apresentar o certificado, em inglês, do aplicativo “Conect SUS”. Além do comprovante de vacina, os passageiros ainda são obrigados a realizar um teste PCR no primeiro ou segundo dia após a chegada no país. Até obter o resultado do exame, é necessário ficar em quarentena, conforme as regras oficiais.

As autoridades belgas no Brasil alertam que, no momento, não existem voos diretos entre os dois países. Por isso, orientam os passageiros a consultarem as regras de viagem no país em que irão realizar a escala. 

A partir desta segunda-feira (6), caem mais algumas medidas restritivas da pandemia aplicadas na Irlanda. O país inicia, então, um processo de reabertura, que deve ser completado em 22 de outubro. Viajar para a Irlanda, no entanto, está mais fácil. Residentes do Brasil totalmente vacinados podem visitar a ilha da esmeralda a turismo. Por outro lado, o país só considera vacinas aprovadas pela Agência Europeia de Medicamentos (EMA, sigla em inglês), como a AstraZeneca, Jenssen, Pfizer-BioNTech e Moderna, aplicadas entre 7 e 15 dias anteriores à viagem.

Viajantes do Brasil totalmente vacinados ou recuperados da Covid-19 ainda precisam realizar um teste PCR negativo para a doença, com antecedência máxima de 72 à chegada na Irlanda, e devem realizar quarentena domiciliar de 14 dias após a aterrissagem na ilha. Os passageiros não vacinados ou que receberam os imunizantes da CoronaVac precisam também realizar um teste PCR antes da viagem e cumprir quarentena obrigatória de 14 dias em hotel, na Irlanda, cujo valor de €1.875 deve ser bancado pelo passageiro. Todos os viajantes precisam preencher o formulário online antes de embarcar para a ilha.

Embora esteja aberto para turismo, no momento, interessados em viajar à Irlanda com intuito de estudar em instituições de ensino da língua inglesa ainda não estão sendo aceitos no país. Em nota enviada ao Agora Europa, o Departamento de Educação Superior, Pesquisa, Inovação e Ciência irlandês afirma que o governo está revisando as restrições impostas ao setor educacional e que novas informações devem ser divulgadas tão logo as análises sejam concluídas.

“Além do roteiro recentemente anunciado pelo governo, intitulado “COVID-19: Reformulando o desafio, continuando nossa recuperação e reconectando”, o Departamento se comprometerá com o Departamento de Justiça para revisar as condições que foram aplicadas ao sistema de imigração estudantil, incluindo a Lista Provisória de Programas Elegíveis (ILEP) durante o período da pandemia até o momento. Mais informações em relação aos requisitos de imigração de estudantes serão fornecidas ao setor de Educação de Língua Inglesa assim que este compromisso for concluído”, declara a nota.

Reabertura de Portugal esgota passagens

Portugal, país que concentra a maior comunidade brasileira na Europa, era um dos mais esperados. Desde quinta-feira (1°), já é possível viajar ao país luso sem um motivo essencial de viagem, regra que era exigida desde março de 2020.

Diferente de outros países, como Espanha e Alemanha, não é necessário estar vacinado para entrar em território português. O governo exige apenas um teste PCR ou antígeno certificado com resultado negativo. A quarentena também deixou de ser obrigatória aos passageiros.

A tão esperada reabertura provocou intensa procura por voos. Conforme pesquisa realizada pelo Agora Europa nos sites das companhias aéreas, a maioria das passagens em voos diretos na classe econômica para os próximos dias foram esgotadas.

Outros países reabertos

Recentemente, a Alemanha também voltou a permitir viagens não essenciais do Brasil. No entanto, a condição imposta pelo país é que os brasileiros estejam totalmente imunizados – mas não reconhecem a vacina CoronaVac.

Os viajantes precisam comprovar a imunização com documento em alemão, inglês, francês, italiano, ou espanhol com uma série de informações pessoais. Também é necessário preencher o registro digital de entrada, disponível no site do governo alemão. De acordo com as autoridades, não é necessário realizar testes ou quarentena. Atualmente, os dois países possuem ligação com voos diretos.

A Espanha também mudou as regras e aceita, desde 24 de agosto, a entrada de turistas do Brasil. A exigência do governo é que estejam totalmente vacinados. Diferente da Alemanha, o imunizante CoronaVac é aceito pelas autoridades espanholas.

A comprovação da vacinação deve ser feita com um comprovante que contenha as informações sobre a imunização. O país também não exige teste ou quarentena na chegada ao território. Os viajantes que desejam viajar ao país possuem a opção de viagens aéreas diretas.

A França é outro Estado-Membro da UE que aceita turistas do Brasil. Desde julho, as viagens não essenciais foram retomadas. No entanto, pelas regras do governo, a CoronaVac não é aceita para entrada no país.

Os passageiros precisam apresentar um comprovante de vacinação dos imunizantes reconhecidos pelo país. Um documento está disponível no site do governo para preencher os dados sobre a vacinação. Os viajantes não precisam de teste ou quarentena. Atualmente, existem voos diretos entre o Brasil e a França.

A Suíça, que não faz parte da União Europeia, foi um dos primeiros países europeus a aceitar a entrada dos brasileiros.  As pessoas imunizadas não precisam realizar quarentena na chegada ao país, mas as regras podem variar conforme a vacina recebida.

O site do governo suíço possui um simulador de viagem, em que o passageiro pode consultar quais regras são aplicadas de acordo com o embarque e o status de vacinação. Assim como a França, passageiros dispõem de voos diretos entre o Brasil e a Suíça.

Países com turismo fechado

Na contramão dos demais países, a Itália revisou as regras no último domingo (31) e mantém o Brasil na lista de alto risco. Até 25 de outubro, os turistas que saem do território brasileiro são proibidos de entrada na Itália. O governo não informa se pode revisar as medidas antes do prazo informado oficialmente.

O Reino Unido, que impõe uma quarentena em hotel no valor de 16 mil reais aos passageiros essenciais, não tem uma previsão de reabertura aos brasileiros. O governo britânico mantém o Brasil na lista vermelha, o que impede a entrada de turistas. A lista de países é revista periodicamente.

A Dinamarca, que anunciou o fim da maioria das restrições recentemente, mantém regras de viagem. Os turistas do Brasil continuam impedidos de entrarem no país.

Compartilhar