Micheál Martin é eleito e Irlanda tem novo primeiro ministro

Micheal Martin permanece no cargo de Taoiseach até dezembro de 2022. – Foto: Micheal Martin / Assessoria de Imprensa

Com 93 votos, o Parlamento irlandês elegeu, neste sábado, o novo primeiro ministro do país, que inicia imediatamente as atividades no cargo. Para se eleger, Micheál Martin precisava alcançar o número mínimo de 83 votos.

O nome do novo Taoiseach, Micheál Martin, já havia sido definido em um acordo firmado pelos dois maiores partidos irlandeses, Fianna Fáil, de Micheál, e Fine Gael, do então Taoiseach Leo Varadkar, além da contribuição do Green Party. Segundo o acordo firmado pelas três siglas, Micheál Martin assume o cargo até dezembro de 2022. A partir de então, Leo Varadkar reassume a posição mais importante da política irlandesa. Pelas redes sociais, Micheál o então deputado celebrou a conquista do novo cargo:

“Como eu disse no Dáil (Parlamento) mais cedo, ser eleito Taoiseach (primeiro ministro) de uma república livre é a maior honra que uma pessoa irlandesa poderia esperar. Eu não estou à altura da responsabilidade e eu me comprometo a trabalhar dia e noite com meu colegas no Governo para alcançar o maior potencial da nossa nação”, agradeceu o novo Taoiseach.

Entenda por que a Irlanda escolheu um novo ministro

Após 4 anos governando com minoria no Parlamento (Dáil Éireann) e frente aos acordos do Brexit, especialmente, com a Irlanda do Norte, o primeiro ministro (Taoiseach) irlandês solicitou, em janeiro deste ano, a dissolução do Dáil e a realização de uma nova eleição. O pedido foi aceito pelo presidente Michael Daniel Higgins e o pleito ocorreu no dia 8 de feveireiro, elegendo 160 deputados (Teachta Dála – TD) para o 33º Dáil.

Ao contrário do que esperava, no entanto, o partido de Leo Varadkar (Fine Gael) foi o maior derrotado das eleições de fevereiro. Pela primeira vez em cem anos, os dois partidos mais votados não foram Fianna Fáil ou Fine Gael. A grande surpresa ficou por parte da sigla de esquerda, Sinn Féin, que obteve 37 cadeiras no Parlamento, ficando atrás do Fianna Fáil, com 38, e à frente do Fine Gael, de Varadkar, com 35 posições.

A partir da composição do novo Dáil, 4 nomes foram lançados para assumir o cargo de Taoiseach, incluindo o de Leo Varadkar. No entanto, o resultado das votações foi inconclusivo. No dia 20 de fevereiro, Varadkar renunciou ao cargo, pedido que foi acatado pelo presidente Higgins. O Taoiseach, no entanto, permaneceu na posição até a escolha de um novo primeiro ministro.

Com a necessidade de atingir 80 votos, mas apenas 73 cadeiras no Parlamento, Fianna Fáil e Fine Gael tiverem de buscar apoio do Green Party para conseguir formar um novo Governo. Da união das 3 siglas, surgiu o nome de Micheál Martin (Fianna Fáil) e um plano de sucessão. As siglas definiram que, a partir deste sábado (27), Micheál assume o posto mais alto da política do país, o de Taoiseach. No entanto, em dezembro de 2022, Leo Varadkar retorna ao cargo para dar continuidade ao trabalho iniciado em 14 de junho de 2017.

Leia também
– Airbnb e Safe Ireland se unem para ajudar vítimas de violência doméstica
– Com atraso, plataforma libera inscrições para até 13 mil bolsas de estudo na Irlanda

Nesta sexta-feira (26), Leo Varadkar publicou, em sua conta pessoal no Instagram, uma foto de despedida do escritório em que trabalhou nos últimos anos como Taoiseach irlandês.

 

View this post on Instagram

 

Clearing out the office tonight. This portrait has hung proudly over the fireplace for 9 years. Beidh sé ar ais

A post shared by Leo Varadkar (@leovaradkar) on

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.