Medidas de distanciamento social vão reduzir em até 87% capacidade de pubs na Irlanda

Bares, pubs e restaurantes podem reabrir a partir do dia 20 de julho na Irlanda – Foto: Cristiano Goulart

Por Cristiano Goulart, em Dublin.

Um estudo realizado pela Federação de Viticultores da Irlanda (VFI, sigla em inglês) aponta que pubs, bares e restaurantes podem ter uma queda de até 87,5% do público após a reabertura dos estabelecimentos. De acordo com as novas normas do Governo, os locais podem reabrir ao público a partir do dia 20 de julho, quando inicia-se a Fase 4 de flexibilização das restrições.

No entanto, algumas normas para garantir a segurança do público devem ser seguidas rigorosamente, como a garantia do distanciamento social entre os clientes. As regras do Ministerio da Saúde da Irlanda para a reabertura dos locais determinam que, em um espaço de 100 metros quadrados, o número máximo de pessoas em pé seja de 25 clientes por vez. Antes da pandemia, esta capacidade era de 200 pessoas, o que representa uma queda de 87,5%.

Saiba mais
Atividades físicas em grupos de até 15 pessoas são liberadas na Irlanda
– Cresce otimismo pelo fim da pandemia na Irlanda, mostra pesquisa
– Deslocamentos de até 20 quilômetros passam a ser permitidos a partir de hoje na Irlanda

O limite máximo de clientes em ambientes com espaços para sentar, como restaurantes, também caiu de 100 para 34 pessoas a cada 100 metros quadrados, queda de 34%. A consultoria que realizou o estudo de capacidade, Knapton Consulting Engineer, conclui que locais com “geometrias mais complexas terão menor número de ocupantes quando o distanciamento social for aplicado, pois o distanciamento físico irá resultar em uma grande redução em epaços estreitos, como pubs pequenos, se comparados com estabelecimentos com largos espaços de circulação”.

O presidente da VFI, Padraig Cribben, questiona, no entanto, a viabilidade econômica de reabertura dos pubs dentro dos parâmetros de saúde estabelecidos, embora reconheça a importância de tais medidas:

“Desde o começo da crise, os pubs têm colocado a saúde pública em primeiro lugar. (…) Enquanto temos sido convocados por igualdade de oportunidades para reabrir por algum tempo, a questão que ainda permanece é quantos pubs poderão realmente (dentro destas medidas) quando a oportunidade chegar”, afirma Cribben.

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.