Justiça determina prisão de brasileiro acusado por morte de adolescente irlandês

O acusado foi enviado ao sistema penitenciário irlandês neste sábado (30) – Foto: Cristiano Goulart.

Reportagem de Daiane Vivatti e Cristiano Goulart.

Amigável, brincalhão, calmo. Assim é descrito o brasileiro acusado de ter assassinado um adolescente irlandês, de 16 anos, na noite da última terça-feira (26), em Dublin, na Capital do país. Hoje (30), G.G.B.*, iniciais do nome do réu confesso, foi encaminhado ao sistema penitenciário do país pela Justiça irlandesa. O juiz, na audiência realizada nesta tarde, definiu que ele vai responder pelo crime de homicídio (murder, em inglês).

G.G.B., de 35 anos, trabalhava como entregador de comida, na noite da última terça-feira, quando se deslocou para a região central da cidade para coletar uma encomenda em um restaurante de East Wall. A localidade, tradicional pela abundância de estabelecimentos comerciais, é também um ponto de grande circulação de riders (ciclistas, em português), como são chamados os entregadores por aplicativos.

Ao se aproximar do local para retirar a entrega, o brasileiro viu que um homem em uma moto tentava furtar uma bicicleta. Acompanhado de um colega ciclista, G.G.B tentou intervir e pegá-la de volta, mas foi abordado e agredido por um grupo de cerca de 10 adolescentes, segundo explica Ana*, noiva do acusado:

“Ele disse que não sabe de onde eles vieram, se eles estavam na rua, se eles estavam lá antes. Ele não conhece os adolescentes. Eles começaram a bater nele e quando viu que eram muitos, ele tentou pegar a bicicleta dele e sair, mas ele olhou para trás e viu que o amigo dele estava no chão caído, e eles batendo no amigo dele”, contou.

Ana relata que, ao ver o colega sendo espancado pelo grupo, G.G.B. voltou para ajudá-lo e utilizou uma arma branca para tentar assustar os agressores e defender o amigo: “Só que, ao invés dos meninos se assustarem e saírem, começaram a vir querendo bater nele. E aí ele foi tentar se defender dos meninos de novo e acabaram se ferindo, essas pessoas. Eu não sei com muitos detalhes, porque ele não me contou com detalhes isso”.

G.G.B. pegou a bicicleta e foi imediatamente para casa, onde relatou à noiva o que tinha ocorrido minutos antes. Ana disse que ele estava com a mão inchada e com a boca cortada e que falou que acreditava ter machucado alguém porque havia usado uma arma branca para se defender. O casal, no entanto, só ficou sabendo que o adolescente não tinha resistido aos ferimentos, e morrido no hospital, no dia seguinte – por informações divulgadas pela imprensa irlandesa.

O entregador procurou um advogado e um tradutor e se apresentou à polícia local (Garda Siochána) na tarde de quinta-feira (28), onde ficou detido para prestar depoimentos até este sábado. Ana confirmou que todos os pertences solicitados foram entregues à polícia. Na próxima audiência do caso, prevista inicialmente para o dia 4 de fevereiro, será confirmado se ele poderá responder o processo em liberdade ou não.

Vindos de São Paulo, G.G.B e Ana se mudaram para a Irlanda há pouco menos de dois anos para estudar inglês. O casal está junto há três anos e, após o pedido de noivado em abril passado, os planos para o casamento ainda não tinham data específica. Os pais de G.G.B vivem no Brasil e foram informados por Ana sobre o que aconteceu após o nome e a foto do acusado serem divulgados em um jornal irlandês. O brasileiro também tem dois filhos que ficaram no país de origem: um menino de 4 e uma menina de 6 anos.

Ao chegar na Irlanda, G.G.B – que atuava como técnico de manutenção no Brasil – trabalhou como entregador e, depois, foi contratado por uma empresa de segurança, mas devido à pandemia, voltou a fazer entregas de comida no segundo semestre de 2020.

A vítima, jogava futebol nas categorias de base do tradicional clube dublinense Bohemians F.C., conhecido por carregar as bandeiras pró-imigração e dos direitos humanos. O clube divulgou uma nota de pesar após a confirmação do óbito:

Todos nós, na Bohemians, ficamos arrasados ​​ao saber da morte do jogador do Bohs-SKB J. D., que morreu em circunstâncias trágicas na noite passada.

J. era um jovem jogador talentoso e querido, de quem todos os seus ex-companheiros e treinadores sentirão saudades(…).

O adolescente, no entanto, não foi o único ferido no episódio de East Wall. Segundo nota enviada pela polícia irlandesa ao Agora Europa, “dois jovens do sexo masculino foram levados ao Hospital Mater para tratamento de ferimentos graves” – incluindo o adolescente de 16 anos. Até o momento, ainda não há informações sobre o estado de saúde da segunda vítima.

Brasileiros organizam protesto

Neste sábado, grupos por aplicativos de conversa foram criados para organizar um protesto em defesa G.G.B., que reivindicam ter agido em legítima defesa no conflito que resultou na morte do adolescente de 16 anos. Dentre as diversas mensagens publicadas nos chats, também foram compartilhados vídeos que mostram furtos de bicicletas e agressões cometidas contra os entregadores. Além da reavaliação da pena de G.G.B., acusado de homicídio doloso, quando há a intenção de matar, os manifestantes também pedem medidas mais firmes do governo irlandês para frear os crimes contra os riders. Inicialemente, o protesto está marcado para o dia 2 de fevereiro. O horário e local ainda não foram definidos.

*Ana é um nome fictício utilizado para proteger a identidade da noiva de G.G.B.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.