Irlanda determina que restaurantes e pubs fechem às 8 horas da noite

Mais de sete mil pubs deverão fechar as portas mais cedo a partir deste domingo (19) na Irlanda. A determinação foi emitida pelo governo do país no início da noite desta sexta (17). A regra, que também vale para bares e restaurantes, impõe as 8 horas da noite como limite máximo para o funcionamento dos estabelecimentos. A medida não se aplica a locais que operam por sistema de telentrega ou take-away (coleta no local).

Além disso, os eventos em locais fechados também ficam proibidos a partir das 8 horas da noite, com capacidade máxima de 50% ou mil pessoas. Em espaços abertos, a regra também limita a capacidade de ocupação em 50% ou cinco mil pessoas. Isso significa, por exemplo, que um evento com espaço para acomodar 10 mil pessoas só poderá receber metade do público (50%). No entanto, locais com capacidade para 20 mil participantes também terão de respeitar o limite máximo de cinco mil pessoas. Por outro lado, continua permitido realizar festas de casamento após as 8 da noite; no entanto, o evento não deverá reunir mais de 100 participantes.

A partir do próximo domingo, pessoas que tiveram contacto com infectados pela Covid-19 também terão de restringir os movimentos. Para aqueles que tomaram a terceira dose de um dos imunizantes há mais de uma semana, será exigida quarentena de cinco dias e três exames rápidos de antígeno durante o período de isolamento. Por outro lado, pessoas que ainda não receberam a terceira dose deverão se isolar por dez dias, caso tenham tido contacto com alguém que testou positivo para a doença.

Também ficou determinado, segundo as novas regras, que viajantes continuarão obrigados a realizar um teste negativo para Covid-19 antes de embarcar para a ilha. O exame poderá ser um PCR, efetuado até 72 horas antes da viagem, ou o antígeno, que terá de ter sido realizado, no máximo 48 horas antes do embarque. Após a chegada ao país, o viajante também terá de realizar diariamente um exame antígeno pelo período de cinco dias, a contar da data do desembarque.

As medidas anunciadas pelo governo irlandês pretendem conter a proliferação da nova variante da Covid-19, a Ômicron, no país. Nas últimas 24 horas, a Irlanda registrou 3.628 contaminações por coronavírus. O Serviço Nacional de Saúde (HSE, sigla em inglês) estima que 35% dos casos correspondam à variante do sul da África.

Compartilhar