Irlanda anuncia fim do lockdown, mas Natal terá restrição de visitantes

Após seis semanas de confinamento, a Irlanda irá voltar para o nível 3 de restrições. Foto: Cristiano Goulart


A partir da próxima terça-feira (1º), pessoas que moram na Irlanda poderão voltar a circular livremente dentro da região onde vivem e o comércio vai reabrir. O anúncio do fim do segundo período de lockdown no país, no entanto, veio acompanhado da permanência de restrições ao recebimento de visitantes em casa e de um plano para as celebrações de Natal e de Ano Novo.

Em 2020, será possível confraternizar com pessoas que residam em apenas outras duas residências. Já as viagens serão liberadas dentro do país. O primeiro-ministro irlandês, Taoiseach Micheál Martin, anunciou na noite dessa sexta-feira (27) um plano de reabertura em três etapas. No entanto, sairá do atual nível 5, mas permanecerá no nível 3 de restrições.

Com isso, as visitas em casa permanecem proibidas nas primeiras semanas de dezembro. O Governo também ampliou a recomendação do uso de máscaras não apenas em ambientes internos, mas também ao ar livre em ruas movimentadas, em locais de trabalho fechados lotados e em locais de culto.

Estabelecimentos de serviços não essenciais, como cabeleireiros, esteticistas e centros de estética podem abrir no dia 1º, desde que cumpram medidas de proteção para evitar a transmissão de coronavírus. A recomendação é também para que as pessoas continuem trabalhando de casa, a menos que seja absolutamente necessário atender pessoalmente.

Já os restaurantes e pubs que servem refeições poderão reabrir apenas na próxima sexta-feira (4). Os demais bares poderão fazer delivery ou coleta, sem permissão para que as pessoas consumam no local.

Plano para as festas de Final de Ano

O Governo anunciou ainda a flexibilização de algumas restrições a partir do dia 18 de dezembro para que encontros com pessoas de até outras duas famílias e também a realização de viagens para outros condados do território irlandês. Essas medidas, no entanto, ficarão válidas até 6 de janeiro. O primeiro-ministro explicou que a administração está indo o mais longe possível para alcançar o equilíbrio entre saúde e considerações econômicas e sociais. E foi enfático: “Nada além disso”.

“Este não pode e não será o tipo de Natal a que estamos acostumados, mas será um momento muito especial em que todos poderemos desfrutar de uma trégua das adversidades de 2020 e, em particular, das últimas seis semanas”, ressaltou Martin.

O pedido foi também para que as pessoas tenham responsabilidade e gerenciem o risco das interações durante o período. “Após nove meses aprendendo sobre como esse vírus está se espalhando em nossa comunidade, uma lição impressionante surgiu: cada contato conta”, sintetizou.

O primeiro-ministro da Irlanda também passou uma mensagem positiva relacionada ao novo ano e à expectativa de desenvolvimento de diversas vacinas com resultados promissores. De acordo com Martin, assim que as doses forem autorizadas e estiverem disponíveis, a distribuição será rápida, abrangente e justa no país.

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.