Holanda reintroduz máscaras e amplia uso do certificado de vacinação


O governo holandês anunciou, na tarde desta terça-feira (2), a reintrodução do uso de máscaras em vários locais, como supermercados e lojas, e ampliou o uso dos certificados de vacinação. As novas regras, semelhantes às adotadas pela Bélgica na semana passada, entram em vigor no próximo sábado (6).

De acordo com o comunicado oficial, o objetivo das restrições é evitar um pico de hospitalizações por Covid-19 nos próximos meses mais frios. As autoridades do país estimam que 500 pacientes sejam internados em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) durante o inverno. Atualmente, 240 pessoas estão na terapia intensiva, sendo que, de acordo com dados do governo, quatro a cada cinco pacientes graves não foram vacinados.

O uso das máscaras voltará a ser obrigatório em supermercados, lojas, bibliotecas, locais de jogos e parques de diversões. A proteção facial também será necessária novamente nos transportes públicos, incluindo as lojas das estações e plataforma de embarque dos transportes, além dos aeroportos.

Nas escolas e universidades a máscara será obrigatória em áreas de trânsito. O uso é dispensado quando a pessoa estiver sentada. Em todas as profissões que exigem contato humano, o equipamento de proteção será obrigatório, tanto para clientes como para trabalhadores. O governo alerta que uma multa de 95 euros será aplicada em caso de descumprimento da regra.

Uso do certificado de vacinação ampliado

Também a partir de sábado (6), o certificado de vacinação, de teste ou recuperação será solicitado para entrada em mais locais do país. Segundo o governo, o documento passa a ser obrigatório em todos os locais de venda de alimentos e bebidas, tanto para área interna como externa, apenas com exceção do serviço pegue e leve.

Cassinos, teatros, espaços culturais, cinemas e eventos também só poderão ser acessados com o certificado. O mesmo vale para competições esportivas, academias, aulas de música e pintura, além de ensaios para canto, dança e peças teatrais. As atividades organizadas exclusivamente para adolescentes até 18 anos dispensam a obrigatoriedade do documento.

Outra novidade é o retorno da recomendação para o trabalho em casa a partir de amanhã (3): “Sabemos que trabalhar em casa é uma forma eficiente de prevenir a propagação do coronavírus. Ajuda a reduzir o número de momentos de contato”, explica o governo no comunicado.

Novas medidas em “um futuro próximo”

As autoridades holandesas discutem novas regras para “um futuro próximo”, que exigirão aprovação do Parlamento. O governo irá propor que o certificado de vacinas seja obrigatório a profissionais da área de restaurantes e de outros setores.

Também é citado no comunicado que o governo pretende ampliar ainda mais o uso dos certificados, para “outros lugares onde muitas pessoas se reúnem todos os dias, como em lojas não essenciais, zoológicos e parques de diversão”. 

De acordo com a proposta que será apresentada, as medidas seriam aplicadas “especificamente” em regiões com baixos índices de vacinação, onde o índice de infectados e internados seja alto. Uma nova reunião no dia 12 de novembro irá discutir o avanço das medidas. 

Vacinação na Holanda

Atualmente, 83,3% da população residente na Holanda está totalmente vacinada contra o vírus, conforme dados oficiais do governo. Estão hospitalizadas 1.072 pessoas e a média diária de novas internações é de 104, segundo o mesmo relatório oficial.

A partir de dezembro, uma terceira dose da vacina será aplicada em idosos com mais de 80 anos. O reforço na imunização também será oferecido para pessoas com mais de 18 anos que trabalham na área da saúde.

Compartilhar

3 Comments

Comments are closed.