Pandemia: Grécia muda regra para incentivar vacinação com terceira dose

A partir do dia 1º fevereiro, a Grécia mudará as regras sobre o que determina se uma pessoa está ou não totalmente vacinada contra a Covid-19 no país. Essa mudança vai definir, por exemplo, quem poderá frequentar as áreas internas de cafés, bares e restaurantes. A intenção do governo é incentivar a população a tomar a terceira dose das vacinas.

Apenas pessoas recuperadas ou que tomaram as duas doses de uma das vacinas contra a Covid-19 nos últimos sete meses serão consideradas totalmente vacinadas. Caso a imunização tenha ocorrido antes desse período, será exigido também a dose de reforço da vacina. Conforme anunciado, neste domingo (9), pelo ministro da Saúde grego, Thanos Plevris, o prazo para receber a injeção de reforço será reduzido de nove para sete meses.

‘’O certificado ainda será válido por ser um certificado europeu com validade de nove meses, mas essas pessoas não poderão mais usufruir de benefícios como acesso a espaços internos reservados para pessoas vacinadas’’, comunicou o líder do governo. 

A medida ocorre para conter o avanço da pandemia e da variante Ômicron no país, que equivale a 80% dos casos de Covid-19 confirmados atualmente. O mais recente relatório epidemiológico contabilizou mais de 18 mil novos diagnósticos positivos no período de 24 horas. Quase 55% dos leitos reservados para pacientes com coronavírus estão ocupados, e as unidades de tratamento intensivo operam no limite, com 92.94% de ocupação. 

Com o objetivo de melhorar os índices de imunização no país, que registra 66% da população com o esquema vacinal completo, as autoridades gregas têm adotado regras que atingem principalmente os residentes não vacinados. Desde setembro, trabalhadores de todos os setores que ainda não receberam a injeção contra o coronavírus devem realizar dois testes semanais para a doença. Os exames devem ser pagos pelos próprios profissionais. Além disso, o acesso a prédios públicos, bancos, locais de entretenimento e centro de compras também é restrito aos vacinados, recuperados ou testados desde novembro.

O Ministério da Saúde ainda comunicou, neste domingo (9), que 170 leitos adicionais para tratar pacientes com Covid-19 devem ser disponibilizados no Sistema Público de Saúde em breve. Um reforço de quatro mil enfermeiras também foi anunciado a fim de prevenir a falta de profissionais diante do alto número de internações na nova onda da pandemia. 

Compartilhar