Quinto dia de incêndios no sul da Espanha já atinge 90 quilômetros

Área foi evacuada pelas autoridades. Foto: Guarda Civil

Há cinco dias, um incêndio florestal na Sierra Bermeja, no sul da Espanha, desafia centenas de bombeiros que trabalham sem descanso para apagar as chamas. Nesta segunda-feira (13), mil profissionais combatem as chamas, além de contarem com auxílio de 51 aeronaves que sobrevoam os locais mais atingidos, conforme dados do setor de “Emergências 112” de Andaluzia. O incêndio já deixou pelo menos dois feridos e resultou na morte do bombeiro florestal, Carlos Martínez Haro, de 44 anos, que atuava em Almería, cidade na região de Andaluzia.

Desde a última quarta-feira (8), o fogo se alastra rapidamente por 90 quilômetros e já queimou 7.780 hectares, segundo dados do Serviço de Extinção de Incêndios Florestais de Andaluzia. Neste domingo (12), 1.616 pessoas foram desalojadas de seis municípios próximos ao incêndio (Jubrique, Genalguacil, Faraján, Pujarra, Alpandeire e Júzcar).

Elas foram abrigadas em casas de familiares, albergues e hotéis, que disponibilizaram quartos aos afetados. Outros 1.054 vizinhos, das cidades de Estepon e Benhahavís, que foram evacuados primeiramente, já retornaram as suas casas, com o auxílio do Consórcio Provincial de Málaga. Dezenas de voluntários preparam comida para alimentar os que estão fora de seus domicílios.

Segundo Juan Sánchez, o diretor do Centro Operativo Regional do Plano Infoca (Serviço de Extinção de Incêndios Florestais de Andaluzia), o incêndio é o mais complexo conhecido pelos serviços de extinção florestais nos últimos tempos: “Levamos muito tempo falando das consequências do abandono do meio ambiente e do câmbio climático. Hoje estamos vivendo”, disse Sánchez.

O incêndio também obrigou a Comunidade de Andaluzia a fechar estradas nesta segunda-feira (13). Ao todo, cinco vias seguem fechadas para o trânsito de veículos e o governo da região pede para que moradores evitem circular pelas zonas próximas ao fogo.

Ainda não se sabe a causa do sinistro, mas segundo informações da Comunidade de Andaluzia, não se descarta a possibilidade de que o primeiro foco tenha sido provocado de maneira intencional. Segundo o presidente da Comunidade de Andaluzia, Juanma Moreno, em manifestação no Twitter, os responsáveis serão punidos: “Nós os caçaremos e eles irão à Justiça”, promete o parlamentar.

Ainda segundo Sánchez, em comunicado divulgado nesta manhã, “a evolução das últimas horas apresenta notícias mais esperançosas, mas há que ser prudente porque a partir da tarde, com a previsão de chuva, o vento ganha intensidade”, avalia o líder.

Ao todo, trabalham na Sierra Bermeja, na região de Málaga, profissionais do serviço de Emergências 112 de Andaluzia, Unidade Militar de Andaluzia, agentes da Guarda Civil, Unidade de Polícia Nacional, Corpo Nacional de Polícia, Polícia Local de Estepona, entre outras.

Compartilhar