País Basco suspende eventos e quer exigir Certificado Covid-19

Novas restrições para conter os contágios de coronavírus passam a valer a partir desta quarta-feira (17). Foto: Canva

O aumento significativo de casos positivos de coronavírus, nos últimos 14 dias, levou o governo do País Basco a tomar novas medidas de restrição a partir desta quarta-feira (17) nos municípios que apresentam mais de 150 infectados para cada 100 mil habitantes. O anúncio foi feito pela conselheira de saúde da região, Gotzone Sagardui.

Entre as novas restrições, está a suspensão ou o adiamento, temporariamente, de atividades de comemoração em que as medidas sanitárias não possam ser cumpridas, especialmente àquelas que preveem o consumo de bebidas e alimentos, evitando assim a retirada da máscara e a possibilidade de propagação do vírus.

O novo decreto prevê ainda que mesmo nos eventos em que as medidas preventivas contra a Covid-19 sejam respeitadas, sejam eles realizados em espaços internos ou ao ar livre,  será obrigatório aumentar o espaço entre as pessoas para evitar aglomerações, bem como estabelecer corredores de tráfego para facilitar a entrada e a saída ordenada dos participantes. Além disso, será preciso delimitar os espaços de venda e consumo de alimentos e bebidas.

Outra medida prevista é que a secretaria de saúde passe a enviar o boletim epidemiológico duas vezes por semana, a fim de conhecer a situação de cada município do País Basco e informar a população sobre a evolução da pandemia.

Exigência Certificado Covid-19

Paralelamente a estas medidas, o Ministério da Saúde solicitou autorização ao Superior Tribunal de Justiça do País Basco para exigir o Certificado Covid-19 em determinadas atividades de lazer e para entrar em bares e restaurantes. Se o pedido for aprovado, a apresentação do documento será obrigatório para todas as pessoas maiores de 12 anos em casas noturnas, concertos de música, espetáculos de dança e em restaurantes e bares, quando a lotação superar 50 pessoas no mesmo ambiente.  

Restrições que seguem em vigor

As medidas anunciadas nesta quarta-feira (17) pelo governo regional complementam a portaria publicada no dia 6 de outubro, que determina o uso obrigatório de máscaras e a limitação máxima de 80% de público em locais fechados com capacidade superior a cinco mil pessoas. Também está proibido ingerir bebidas e alimentos em qualquer tipo de evento social, cultural ou esportivo.

A máscara deve ser usada sempre em espaços fechados de uso público, como comércio, transportes, restaurantes, bares, discotecas e também ao ar livre, quando não for possível manter a distância interpessoal de 1,5 metros. E todos os locais fechados devem garantir uma ventilação permanente. Tanto as novas medidas, quanto as novas restrições estão publicadas no site oficial do governo basco.

A conselheira de saúde da região, Gotzone Sagardui, mostrou preocupação com o velocidade crescente do número de contágios de Covid-19, em vários municípios da região. Segundo ela, “a tendência e previsão para os próximos dias é que os números cresçam. A vacinação marcou um antes e depois e, por isso, a leitura dos principais indicadores de seguimento da pandemia devem ser distintos”.

Segundo os últimos dados divulgados pelo Ministério de Saúde, nesta terça-feira (16), o País Basco apresenta 189  casos para cada 100 mil habitantes.  A média nacional é de 88 casos para cada 100 mil habitantes.

Outras regiões que exigem Certificado Covid-19

A Catalunha já exige o certificado de vacinação contra a Covid-19 e não descarta a ampliação dessa norma para frequentar bares e restaurantes, segundo afirmou o secretário de saúde catalão, Josep Maria Argimon. O documento é necessário para entrar em locais de diversão noturna (discotecas e concertos musicais).

A região de Galícia, onde o certificado já é necessário para entrar em locais de diversão noturna, também pediu ao Superior Tribunal de Justiça da região para expandir a sua utilização e poder exigir o documento para visitas de pacientes ingressados nos hospitais galegos. O governo também quer que seja obrigatório para os trabalhadores sanitários.

Outras comunidades autônomas, como Navarra, Valência e Castilla e León, também estão considerando a opção de solicitá-lo tanto em bares e restaurantes, quanto em cinemas e teatros, para impedir novos contágios.

Compartilhar