Espanha registra mais de 33 mil casos de câncer de mama em 2020

Na Espanha, a mamografia é oferecida gratuitamente para as mulheres entre 50 e 69 anos de idade. Foto: Canva

Em novembro de 2019, aos 39 anos, a psicóloga Fátima Martínez Iglesias sentiu dores no peito e um pequeno nódulo na mama direita. Depois de várias consultas médicas e muita persistência, ela foi diagnosticada com câncer de mama, o mais comum em mulheres na Espanha. No país, somente em 2020, foram descobertos 33.875 novos casos, conforme dados da Associação Espanhola contra o Câncer, que atua na conscientização sobre a doença.

Fátima, inicialmente, achou que o desconforto poderia ser uma batida ao brincar com a filha pequena, de quatro anos. Mas, como continuou sentindo dor, a psicóloga resolveu procurar o médico de família no dia seguinte. O diagnóstico foi fibroadenoma, um tipo de tumor de mama benigno. Ela foi aconselhada a voltar pra casa e não preocupar-se com o nódulo. No entanto, Fátima não ficou sossegada: “Minha intuição feminina me dizia que havia algo estranho aí”, conta em entrevista exclusiva ao Agora Europa.

Foi então que a psicóloga buscou uma segunda opinião no serviço de urgências do hospital próximo a sua casa, em Ferrol, no norte da Espanha. De acordo com Fátima, o médico que a atendeu disse que a dor era proveniente de uma inflamação mamária, receitou 15 dias de antibiótico e anti-inflamatório e descartou a realização de exames.

Não satisfeita com os diagnósticos, a paciente resolveu procurar um especialista: “No primeiro toque da médica, ela já afirmou que a probabilidade de que o nódulo podia ser um câncer maligno era de 95%”, relembra a espanhola. De imediato, Fátima foi encaminhada para realização de ecografia e mamografia que comprovou a suspeita. A psicóloga apresentava carcinoma infiltrante grau II, um dos tipos mais comuns de câncer em mulheres.

“Este foi o momento mais duro da descoberta da doença. Em minutos pensei na minha família, na minha mãe, na minha filha. Mas, como sou muito analítica e otimista, também já decidi que faria o tratamento e a cirurgia, se necessário”, lembra a paciente, que já conhecia as consequências do câncer. A psicológa perdeu uma irmã para a mesma doença e o pai enfrentou um câncer de próstata.

Em menos de dois meses, em janeiro de 2020, Fátima já estava na mesa de cirurgia onde retirou toda a mama direita e realizou um implante. Como o câncer não se espalhou para outros órgãos, não foi necessário realizar quimioterapia ou radioterapia.

Hoje, a profissional diz que está curada, mas segue o tratamento, que envolve um comprimido todos os dias e uma injeção a cada três meses: “Hoje quando vejo minha cicatriz só penso que em 15 anos tenho que trocar a prótese. Nada mais”, explica Fátima, sorridente.

Nova campanha contra o câncer de mama

Somente em 2020, a Associação Espanhola contra o Câncer, atendeu gratuitamente mais de 23 mil pacientes. Destas, seis mil foram encaminhadas pelos serviços assistenciais e 10 mil, pelo atendimento psicológico. Neste terça-feira (19) Dia Mundial do Câncer de Mama, a entidade lançou a campanha “Saca Pecho” (Peito pra fora, em tradução livre), em que destaca a importância dos exames preventivos. O presidente do governo, Pedro Sánchez, utilizou o Twitter para divulgar a iniciativa.

Na Espanha, a mamografia é oferecida gratuitamente para as mulheres entre 50 e 69 anos de idade e indicada somente para o público acima dos 50 anos. De acordo com a ministra da Saúde, Carolina Darias, o programa de rastreamento do câncer de mama é realizado em todas as comunidades e cidades autônomas do país, com uma cobertura superior a 90% da população-alvo.

Nesta semana, a titular da pasta também confirmou maiores investimentos na renovação e expansão dos equipamentos de alta tecnologia a fim de melhorar o diagnóstico precoce: “Isso vai facilitar a redução do tempo de espera e a melhoria da qualidade de vida das pessoas, incluindo as mulheres com câncer da mama”, declarou a ministra. Segundo o presidente do governo, Pedro Sánchez, serão aplicados 795 milhões de euros entre este ano e o ano que vem.

Madri amplia locais para realização de mamografias

O governo regional de Madri também aproveitou o Dia Mundial contra o Câncer de Mama para anunciar a ampliação dos locais que realizam mamografias. Segundo comunicado oficial, até o final deste ano, todos os hospitais da rede pública da capital espanhola estarão aptos para diagnosticar a doença.

*Texto atualizado às 21h45min para incluir o valor do investimento anunciado pelo governo espanhol.

Compartilhar