Espanha libera entrada de turistas entre 12 e 17 anos com teste Covid-19

A prova deve ser realizada 72 horas antes da chegada à Península Ibérica. Foto: Canva

A partir desta segunda-feira (14), os viajantes que tenham entre 12 e 17 anos provenientes do Brasil ou de outros não pertencentes à União Europeia (UE), vão poder entrar na Espanha a turismo apresentando um teste PCR negativo de Covid-19. A prova deve ser realizada 72 horas antes da chegada à Península Ibérica. Com a nova regra divulgada pelo Ministério da Saúde, não será mais exigido certificado de vacinação para esta faixa etária na entrada ao país.

Além do PCR, também serão aceitas outras provas diagnósticas para detectar a presença de coronavírus (RNA viral) equivalentes à análise molecular, como testes TMA ou RT-Lamp. Os testes rápidos ou de antígeno não estão inclusos.

No momento, viajantes de fora da UE só podem entrar na Espanha a turismo, por via áerea, se estiverem totalmente vacinados, ou seja, com as duas doses obrigatórias. A medida independe da nacionalidade. Se o ciclo de imunização tiver sido completado há mais de 270 dias (9 meses), o passageiro será obrigado a apresentar a dose de reforço contra a Covid-19, comprovada no certificado de vacinação. Nesse caso, não há necessidade de apresentar um teste negativo de Covid-19, nem de realizar quarentena na chegada ao território espanhol. 

As crianças menores de 12 anos podem viajar à Espanha sem comprovante de vacinação, mas devem estar acompanhadas por pessoas já vacinadas ou autorizadas a viajar. Os menores também não precisam apresentar teste PCR ou de antígeno negativo.

Quem pode entrar na Espanha sem estar vacinado

Segundo informações do Ministério da Saúde ao Agora Europa, a exceção para entrada no país, sem um motivo essencial, vale apenas para as seguintes categorias:

– residentes na União Europeia ou nos Estados associados ao Espaço Schengen, além de moradores de Andorra, Mônaco, Vaticano ou San Marino;

– titulares de um visto de longa duração expedido por um estado membro da União Europeia ou de Estados associados ao Espaço Schengen;

– profissionais da saúde, de transporte e aeronáuticos necessários para o transporte aéreo;

– profissionais diplomáticos, consulares, de organizações internacionais, militares de proteção civil e membros de organizações humanitárias no exercício de suas funções;

– estudantes com vistos de longa duração. No entanto, eles devem apresentar, no embarque, uma prova de PCR ou de antígeno negativa, ou o certificado de recuperação da Covid-19. Caso o estudante estiver vacinado, não precisará apresentar nenhuma outra prova. Em qualquer caso, os estudantes só podem entrar na Espanha durante o ano letivo ou, no máximo, 15 dias antes do seu início. Se a duração da estadia no país for de, no máximo, 90 dias, o estudante precisa comprovar que o curso é realizado em um centro educacional autorizado na Espanha, presencial e em tempo integral e que objetiva a obtenção de um diploma ou certificado de estudos;

– trabalhadores altamente qualificados, cujo trabalho seja imprescindível, incluindo atletas de provas esportivas de alto nível que aconteçam na Espanha.

Compartilhar