Covid-19: com recorde de infectados, Croácia adota novas medidas restritivas

A partir do dia 15 de novembro, a Croácia vai introduzir novas medidas de restrição para conter o avanço da pandemia, anunciou o governo em coletiva de imprensa nesta sexta-feira (5). Entre as regras, estão a obrigatoriedade do certificado de Covid-19 para todos os servidores e usuários dos serviços públicos. Os funcionários das escolas também deverão apresentar o documento, mas os estudantes serão poupados da exigência.

O anúncio ocorre no momento em que o país registra números recordes de pessoas infectadas com o coronavírus. Nas últimas 24 horas, o Instituto de Saúde Pública croata contabilizou 6.310 casos positivos, o maior número de confirmações em apenas um dia desde o início da pandemia. 

‘’Para prevenir a propagação da infecção, é necessário atuar em três direções: alcançar maior vacinação, limitar encontros e conseguir atingir maior segurança nos negócios que não serão limitados”, declarou o ministro de Interior, Davor Božinović.

Além da ampliação do uso do passe que comprova a vacinação, recuperação da doença ou teste negativo recente, para controlar os altos índices de contaminação nas últimas semanas, as autoridades anunciaram a atualização das normas para a realização de eventos, que entram em vigor já neste sábado (6).

Reuniões em espaços fechados, com participantes sem o certificado, serão limitadas a 50 pessoas, que deverão usar máscaras e respeitar o distanciamento social. Eventos onde o número de convidados for superior a 100, só poderão ser realizados em locais abertos, e o passe sanitário será obrigatório. Os organizadores deverão encerrar os encontros até à meia-noite, com exceção de casamentos, que podem acabar até as 2h da madrugada.

Situação epidemiológica na Croácia 

Com o maior registro de casos positivos em um dia nesta sexta-feira (5), o número de casos ativos na Croácia chega a 25 mil. O Ministério da Saúde apontou que, no mês de outubro, mais de 65 mil cidadãos contraíram Covid-19, entre os quais, 77% não havia completado a imunização. Dos pacientes internados que precisaram de um respirador, o equivalente a 77,1% não tinham tomado nenhuma dose da vacina.

No período apurado, 578 pessoas morreram por causa da doença. De acordo com o relatório oficial, 75% das vítimas fatais era de não vacinados. Os pacientes que vieram a óbito e receberam a vacina, possuíam, na maioria, comorbidades ou idade avançada.

Até o momento, 56,7% da população adulta do país completou o esquema vacinal. Todos os que tomaram a segunda dose há mais de seis meses, já podem receber o reforço, segundo o ministro da Saúde Vili Beroš: ‘’A vacinação provou ser a proteção mais eficaz contra as formas mais graves da doença”, observou o representante do governo. 

As autoridades ressaltaram que, em caso de agravamento da situação epidemiológica, novas medidas, ainda mais rigorosas, poderão ser adotadas depois do dia 15 de novembro. Não está descartada a possibilidade de introdução dos certificados em restaurantes, cafés, academias e locais de entretenimento.

Mudança nos certificados em 2022

Ainda se o quadro de infecções piorar no país, o governo anunciou que vai alterar as regras para a obtenção do certificado de Covid-19 a partir de janeiro do ano que vem. 

No caso de crescimento dos índices de contaminação, o passe sanitário deve ser disponibilizado somente para os vacinados e recuperados da doença, e não mais para os que tiverem teste negativo. 

A medida pretende aumentar o ritmo de vacinação entre os cidadãos que ainda não tomaram nenhuma dose do imunizante, diante dos números registrados na Croácia desde que a temporada de frio iniciou: “Essa lacuna foi deixada porque é tempo suficiente para que todos aqueles que não foram vacinados sejam vacinados até o início do próximo ano”, comunicou Božinović.

Compartilhar

1 Comment

Não é possível deixar seu comentário no momento.