Com fronteiras reabertas, Itália registra mais 71 mortes por Covid-19

Da Redação, em Barcelona.

Mesmo com rígida quarentena há mais de três meses, a Itália ainda não conseguiu zerar as mortes por Covid-19. Ao contrário da Espanha, que por dois dias consecutivos não teve óbitos em decorrência do vírus, os italianos ainda lutam para reduzir as baixas. Nas últimas 24 horas foram 71 mortes, embora nos últimos dias os dados tenham permanecido abaixo de cem mortes ao dia, números parecidos com os do início de a pandemia em março.

De acordo com dados da Proteção Civil, no último dia houve um número maior que os 55 falecimentos de terça-feira e menos que os 178 na segunda-feira, quando houve uma pequena recuperação após o fim de semana. No total, a pandemia deixa 33.601 mortes. Por outro lado, outros 321 novos casos foram registrados, elevando o total para 233.836 infecções. Destes, 39.297 ainda estão ativos, 596 a menos que no dia anterior. Os internados na UTI também caíram, 353 (55 menos), e os internados, 5.742 (174 menos). Além disso, outros 846 pacientes receberam alta, portanto já existem 160.938 pessoas que passaram pelo COVID-19 na Itália.

Por sua parte, o primeiro-ministro Giuseppe Conte enfatizou que “a tendência de novos casos diagnosticados está diminuindo constantemente em todas as regiões”, o que “mostra que a estratégia adotada nessas semanas, passo a passo, tem sido a justo. “A partir desta quarta-feira, os italianos podem se deslocar entre diferentes regiões do país, sem restrições. “Os dados da curva epidemiológica nos mostram que o sistema de controle está funcionando”, assim como a decisão do governo de “reabrir gradualmente com base em observação constante”.

Primeiro-ministro italiano acredita que medidas de isolamento estão dando resultado esperado.

O primeiro-ministro valorizou as medidas adotadas desde 4 de maio, quando as restrições impostas para conter a pandemia começaram a ser levantadas e comemorou que “os dados são encorajadores”. “Podemos dizê-lo com relativa prudência, mas também com clareza”, afirmou. Ele também destacou as “boas notícias” de que hoje “os turistas europeus podem viajar para a Itália sem ficar em quarentena”.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.