Pandemia: Bélgica fecha casas noturnas e limita horário de restaurantes

Segundo o Instituto Belga para Saúde (Sciensano), nos último 14 dias, houve aumento de 66% da taxa de contaminação por coronavírus para cada 100 mil habitantes do país – Foto: Cristiano Goulart

O novo aumento no número de casos de Covid-19 e a falta de trabalhadores da área da saúde levou o governo belga a anunciar, nesta sexta-feira (26), a adoção de medidas mais rígidas para tentar frear o avanço da pandemia no país. Dentre as mudanças mais rigorosas, que possuem efeito imediato, está o fechamento das casas noturnas em todo território belga.

Além disso, também ficou determinado que bares e restaurantes só poderão ficar abertos até as 11 horas da noite. Nesses locais, o número de pessoas também fica limitado, com cada mesa podendo receber um grupo máximo de seis, caso não residam na mesma casa. Se forem todos residentes do mesmo domicílio, não há limite de clientes.

Segundo o Comitê Consultivo do país, a situação atual do país é pior do que se projetava: “O número de infecções, internações hospitalares e a pressão sobre as unidades de terapia intensiva continuam aumentando. Embora um aumento temporário fosse esperado, é muito mais significativo do que o “pior cenário” previsto, afirma o comunicado.

Os eventos públicos também terão alteracões. Em espaços cobertos, todos os frequentadores devem permanecer sentados, com uso de máscaras faciais. Ja nos eventos públicos ao ar livre, a audiência deve respeitar a regra de distanciamento social de 1,5 metro, sob risco do evento ser suspenso, caso a medida não seja assegurada.

Competições esportivas, sejam elas profissionais ou amadoras, que ocorram em locais cobertos, devem ser realizadas sem a presença do público. Os participantes menores de 18 anos, no entanto, podem ser acompanhados dos pais ou familiar responsável. No que tange o trabalho remoto, a atual regra permite o retorno aos escritórios uma vez por semana. Essa media seria ampliada para dois dias a partir do dia 12. No entanto, o governo estendeu esta regra até o dia 19 de dezembro.

Um dos principais problemas enfrentados no país, atualmente, é a ausência de trabalhadores para atuar no combate à pandemia nos hospitais do país, segundo o Comitê Consultivo belga: “Consequentemente, a situação no setor de saúde também se deteriorou, especialmente para os GPs (postos de saúde), centros de teste e hospitais. Além disso, 10% dos leitos de terapia intensiva estão indisponíveis devido à perda de profissionais de saúde, gerando mais um atraso no atendimento ao paciente, tanto na atenção primária quanto nos hospitais”, reforça o comunicado.

Para garantir o cumprimento das regras, o governo da Bélgica afirmou que tanto a polícia quanto os serviços de inspeções de país foram convocados a adotar ações duras contra quaisquer violações às regras anunciadas nesta sexta-feira. As medidas devem ser novamente revisadas no dia 15 de dezembro.

Segundo o Instituto Belga para Saúde (Sciensano), o país já registrou 1,7 milhão de casos confirmados da Covid-19 desde o início da pandemia. Nos último 14 dias, a taxa de contaminação por 100 mil habitantes aumentou 66%, atingindo 14 mil casos para cada grupo. Ao todo, o país ja contabiliza 26,8 mil mortes em função da doença.

Compartilhar