Aeroporto de Bruxelas cancela centenas de voos em dia de mobilização nacional

Cerca de 30 mil pessoas foram afetadas pelo cancelamento de 232 voos previstos para o Aeroporto de Bruxelas, na Bélgica, nesta segunda-feira (20). As decolagens foram suspensas em função da ausência dos agentes responsáveis pela segurança do local. Os profissionais pertencem à empresa britânica G4S Security e também se juntaram às mobilizações nacionais devido ao aumento no custo de vida, segundo afirmou uma porta-voz do aeroporto ao Agora Europa.

Os protestos na capital belga começaram ainda pela manhã, por volta das 11 horas. Cerca de 80 mil trabalhadores, convocados pelos movimentos sindicais, tomaram as ruas da cidade para protestar contra o aumento de preços em itens básicos e a redução do poder de compra.

A população belga enfrenta, atualmente, a mais severa inflação dos últimos 40 anos. Segundo o Gabinete de Estatísticas da Bélgica (Statbel), o índice de preços aos consumidores (IPCA) fechou o mês de maio com inflação acumulada de 8,97%, a mais alta desde agosto de 1982.

Desta vez, a vilã da inflação belga, assim como em todo continente europeu, é a energia elétrica. Atualmente, o custo com energia no país é 54,4% maior do que um ano atrás, reforça a Statbel.

Mais protestos no aeroporto de Bruxelas

A paralisação de hoje não é, no entanto, a única prevista para o Aeroporto de Bruxelas nesta semana. Segundo a assessoria de imprensa do local, novas mobilizações estão agendadas entre quinta-feira e domingo por trabalhadores de duas companhias aéreas.

De quinta (23) a sábado (25), os funcionários da Brussels Airlines também prometem se mobilizar contra o alto volume de trabalho. A empresa belga diz lamentar a nova previsão de paralisação e alega ter retirado dos planos da companhia 148 voos previstos para este verão, com o objetivo de aliviar a pressão sobre os funcionários.

A Brussels Airlines é responsável por 60% do movimento de passageiros no Aeroporto de Bruxelas. A companhia ainda não sabe dizer quantos voos devem ser afetados. Até o momento, há 525 voos programados para os três dias.

Além da Brussels Airlines, os funcionários da Ryanair também prometem protestar na capital do país. A mobilização, no entanto, será mais curta, de sábado (25) a domingo (26). O Aeroporto de Bruxelas diz que há 45 voos da Ryanair previstos para as datas, mas ainda não é possível estimar quantos devem ser remarcados. A administração do aeroporto recomenda que os clientes de ambas companhias entrem em contato com as empresas para efetuar a remarcação das viagens.

Compartilhar